Como substituir o Glitter Microplastico e curtir o carnaval de forma consciente?

Tempo de leitura: 1 minuto

O carnaval está chegando e o glitter é presença confirmada. Porém, vamos pensar conscientes!

Os nossos amados glitters fazem um mal danado para o meio ambiente. O Glitter Microplástico é formado por pedaços de plásticos copolímeros, folhas de alumínio, dióxido de titânio, óxidos de ferro, oxicloreto de bismuto ou outros materiais pintados em metálico, cores neon e cores iridescentes para refletirem a luz em um espectro de espumantes.

Ou seja: nada disso pode ser reciclado e como há muito químico, o tempo de decomposição é muito grande.

Mas não é só por causa disso que ele é tão prejudicial.

Esses Glitter microplástico quando saem no banho vão para o mar junto com todos os plásticos que descartamos de maneira errada. No mar esses pedacinhos tem a capacidade de absorverem produtos tóxicos, como pesticidas, metais pesados e outros tipos de poluentes orgânicos persistentes (POPs), o que trás ainda mais danos a biodiversidade.

Plânctons e pequenos animais de alimental do plástico contaminado e propagam a intoxicação por toda cadeia alimentar. Para se ter ideia da proporção do problema, um estudo mostrou que há pedaços de microplástico em sal marinho!

Ai surge a pergunta, então terei que parar de usar glitter?!!

Não!!!

Você pode trocar esse glitter microplástico por glitter de confeiteiro. Tem de todas as cores, todas as formas e tamanhos, se dissolve na água e não agride o meio ambiente! Além de ter um gostinho legal.

O preço é um pouco acima do preço do microplástico, mas não se compara ao preço que pagamos ao poluir o meio ambiente.

(Temos a opção do glitter biodegradável também, porém tem menos variedade e o preço é muito alto.)

Nesse carnaval vamos repensar e nos divertir de forma responsável, cuidando do nosso ambiente e ajudando a construir um mundo melhor.

#PorUmMundoMaisBio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *